quinta-feira, 30 de outubro de 2008

da série: monólogos inúteis

Um amigo meu uma vez me disse: "você é uma represa! Acumula raiva e de repente sai transbordando pra todo lado". Acho que isso é uma das coisas mais engraçadas e mais verdadeiras que ele já disse sobre mim, e bem... quem já me viu com raiva sabe como eu tendo a jogar minhas farpas pra todo lado por coisas aparentemente banais (para os outros). Eu não acumulo só raiva, mas também expectativas e às vezes opiniões - se eu ainda não te disse algo aparentemente sem sentido e sem contexto, um dia eu vou dizer. É que eu acumulo juízos de valor e de repente falo "olha, eu acho isso" - sendo que o timing do assunto já se foi a muito tempo e tal. Enfim, a segunda parte do parecer desse meu amigo era o fato de ele ser uma pessoa que sente ódio e eu sinto raiva: isso quer dizer que ele odeia por muito tempo, e eu tenho uma incapacidade crônica de sentir raiva depois de expressar minha fúria. A não ser que a pessoa seja realmente escrota e eu sinta nojo da cara dela e tal, eu nunca soube ficar "de mal" de ninguém. Isso me expõe a situações ridículas, do tipo pedir desculpas mais do que necessárias e, por sentimento de culpa, ser sempre o lado que dá o braço a torcer. Às vezes acho que isso é um defeito de formação (provavelmente decorrente do meu pai ter saído de casa e blablabla - OI EU ESTOU SENDO IRÔNICA - whatever). Talvez eu faça isso porque reprove mais atitudes do que pessoas - aprendi com titio weber a separar as esferas da vida social, pelo menos nesse sentido. De toda forma, o resto do mundo demora a compreender isso e eu tenho que ficar me explicando o tempo inteiro (oi, como se eu já não fizesse isso). Mas okei, talvez eu seja ofensiva. Na verdade, a depender do caso, eu sou cruel. Mas isso fica para outro monólogo, quando for o caso, porque sim, tô escrevendo tudo isso porque estou com raiva no momento e queria imaginar uma forma realmente racional de lidar com isso.

Ouvindo Stars - Look up

5 comentários:

Branquinha disse...

E será mesmo possível lidar com a raiva de forma racional?
Sinceramente acho que não...
Raiva combina com paixão e paixão é impulso!
Pelo seu monólogo a gente se parece em algumas coisas...
Eu me calo! Pode estar abrindo uma úlcera, mas eu fico avaliando a cena pra descobrir os pontos fracos, porque no fundo sou um pouco cruel... a melhor forma de se acabar com o oponente e fazer sangrar pelas fraqueza!
Como me sentia mesquinha em provocar sofrimento por essa espécie de tortura, ando me policiando pra ser uma pessoa mais sociável!
Ah! E ser comunicativa é muito diferente de ser sociável! Pelo menos eu acho...
E eu adoro seu blog!
Bjos

Cyrano disse...

porque que você publica seu diário?

eu em.

:P

Cyrano disse...

e eu nem posso criticar o nome do seu blog porque não tenho a menor idéia do que essa frase esquisita significa.

em tempo: "calendar girl"?!

*Mr. Tambourine* disse...

Cruel????
Jesus.
Não foi esta menina que eu conheci.
A faculdade realmente destrói as pessoas.

Beijos!

calendar girl disse...

ok, Daniel. Eu critico seu blog e vc vem aqui criticar as mesmas coisas no meu.
What are you, twelve? ;D
Em tempo: "calendar girl" é uma música de uma banda chamada Stars. Sem explicações psicologizantes: eu não me "identifico" com a tal calendar girl, só acho um bom nick e gosto muito da música :)

@João... eu só sou cruel com quem merece! hahahahaha

@ Isis... pelo que vc escreveu eu tb acho que a gente se parece um pouco, mesmo. eu me calo também, mas no caso pra evitar estragos - justamente pela raiva ser assim irracional, eu prefiro pensar bem antes de dizer certas coisas. mas é fato que eu não sei lidar com isso :)